WOZEN
activities.png

Atividades

 

O propósito fundamental da Wozen é usar Arte como uma ferramenta para alcançar a evolução cultural e social, pois acreditamos que essa foi sua principal atribuição pelos séculos. Para atingirmos este objetivo, damos grande ênfase ao nosso programa de atividades, o qual é focado na educação para artistas, não artistas e, especialmente, crianças. Residentes e artistas convidados são encorajados a dividir seus conhecimentos em exercícios criativos e expressivos para o público em geral e colecionadores, tornando-se uma Escola de Arte colaborativa para as novas mentes.

Wozen’s main purpose is to use Art as a tool to achieve cultural and social evolution, as we believe this has been its major role throughout the centuries. One of our main strategies to achieve that goal is our Activities program, which is focused on education for artists, non-artists and, specially, children. Residents and guest artists are encouraged to share their knowledge in creative and expressive exercises for the general public and collectors, becoming a Collaborative Art School for new minds. 

 

 
Back to All Events

Open Talk + Screening | José Carlos Teixeira

  • Wozen Studio Gallery (map)
On Exile_JoseCarlosTeixeira 300dpi.jpg

Interlocutor convidado | Francisca Gorjão Henriques, jornalista e Presidente da Associação Pão a Pão - projecto para a integração de refugiados do Médio Oriente.

Wozen tem o prazer de convidá-lo para uma conversa aberta com o artista José Carlos Teixeira. Nascido em Portugal, e actualmente sediado nos Estados Unidos, o artista está intimamente familiarizado com as complexidades da imigração - desde confrontar situações de deslocação até assumir os desafios de aprender uma nova cultura. Na sua obra, Teixeira vai para além das suas experiências pessoais para criar instalações de vídeo que investigam noções mais amplas de pertença e exílio.
A fim de gerar espaço para a conversa, a empatia, e a intimidade, esta atividade na Wozen é um convite para um olhar reflexivo sobre, por um lado, a doença mental e depressão, e, por outro, o estatuto de refugiado no contexto atual. O conceito de exílio é examinado a partir de uma perspectiva geopolítica e também interpretado metaforicamente.

Nos últimos meses, para além de festivais de cinema, Teixeira expôs o seu trabalho em Lisboa no MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia), no MMOCA (Museu de Arte Contemporânea de Madison) e na galeria SPACES (Cleveland), com o projecto ON EXILE: uma exposição que reúne ensaios em vídeo produzidos pelo artista entre 2016 e 2017.

Assim como nos seus projetos anteriores, Teixeira explora o conceito de alteridade nos filmes que compõem ON EXILE. Derivado de teorias psicanalíticas, antropológicas e pós-coloniais, othering refere-se a um processo pelo qual as sociedades estabelecem identidades maioritárias e minoritárias, ou categorias sociais, como opostos binários. Um indivíduo ou grupo é consequentemente considerado “nenhum de nós”, o que em alguns casos resulta na desvalorização, desumanização ou mesmo perseguição daqueles classificadas como Outros. Teixeira, no entanto, inverte essa tendência humana de demonizar a diferença ao dar voz a membros de comunidades estigmatizadas: indivíduos com doença mental em seu filme ON EXILE, fragmentos in search of meaning (2016-17) e refugiados muçulmanos vivendo nos Estados Unidos em ON EXILE, elsewhere within here (2017).

Resistindo a uma categorização convencional, o trabalho de Teixeira oscila entre o cinema documental e a vídeo arte. Sua abordagem baseia-se num modo de interação relacional da qual depende a participação, os encontros e o desempenho colaborativo. O processo de entrevista do artista funciona como prática artística e troca de vida; destacando as vozes e as histórias na primeira pessoa dos seus participantes, Teixeira abre um espaço psicológico para o desdobramento de narrativas íntimas e um território cinematográfico de criação e autoria partilhadas.

...

Guest speaker | Francisca Gorjão Henriques, journalist and President of the Pão a Pão Association - project for the integration of refugees from the Middle East.

Wozen is pleased to invite you for an open talk with the artist José Carlos Teixeira. Born and raised in Portugal and currently based in the United States, the artist is intimately familiar with the complexities of immigration—from confronting feelings of displacement to undertaking the challenges of learning a new culture. In his artwork, Teixeira moves beyond his personal experiences to create video installations that investigate larger notions of belonging and exile. 

In order to create space for empathy, intimacy and unbiased conversation, this activity at Wozen is an invitation for a reflexive look at, on the one hand, mental illness and depression, and, on the other, the refugee status in the present context. The concept of exile is both examined from a geopolitical perspective, and interpreted metaphorically.

In recent months, in addition to film festivals, Teixeira has exhibited his work in Lisbon at MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (Museum of Art, Architecture and Technology), at MMOCA (Madison Museum of Contemporary Art) and at SPACES gallery, with the Project ON EXILE: a two-part exhibition featuring video-essays the artist produced between 2016 and 2017.

As with his previous projects, Teixeira explores the concept of Otherness in the films that comprise ON EXILE. Derived from psychoanalytical, anthropological, and postcolonial theories, Othering refers to a process through which societies establish majority and minority identities, or social categories, as binary opposites. An individual or group is subsequently deemed “not one of us,” which in some cases results in the devaluation, dehumanization, or even persecution of people classified as Other. Teixeira, however, reverses the human tendency to demonize those who seem different or unfamiliar by giving voice to members of stigmatized communities: individuals with mental illness in his film ON EXILE: Fragments in search of meaning (2016), and Muslim refugees living the United States in ON EXILE: Elsewhere within here (2017).

Resisting conventional categorization, Teixeira’s work teeters between documentary cinema and video art. His approach to art is based on a relational mode of interaction that relies on group participation, extensive interviews, and collaborative performance. For the works included in ON EXILE, the artist’s interview process operates as both an exchange of life and an art form; focusing on the voices and first-hand stories of his subjects, Teixeira opens up a psychological space for intimate narratives to unfold, and a cinematic space for shared creation and authorship.


Reservas / Reservations:

hello@wozenstudio.com